segunda-feira, 14 de junho de 2010

Amanhã vai ser outro dia

Estava refletindo agora sobre o papel dos blogs na divulgação da informação em comparação a outros meios como o twitter ou coisas do gênero. Os tamanhos das revistas, jornais e de seus conteúdos vêm cada vez mais compactos. As pessoas querem apenas tópicos, sem precisar ir na fonte. Isso acontece nas faculdades também. Os alunos reclamam pela dificuldade das provas quando nem ao menos leram os textos que foram disponibilizados, contentando-se com os planos de aula passados pelo professor, quando muito. Nesse sentido, os blogs são reflexos dessa realidade que exige compactação, mas ao mesmo tempo permitem um desenvolvimento do pensar maior do que os demais meios que foram criados nos últimos anos. Textos bons não precisam ser longos, mas precisam ser textos, e isso os demais meios não permitem, com limitações enormes (ou seriam minúsculas) às possibilidades de desenvolvimento mesmo de uma frase mais complexa. Não estou tão discrente quando ao futuro, no entanto. Acredito que a história é cíclica, e que em algum momento as coisas mudarão em outro sentido. Mesmo com os recursos atuais, é possível se fazer muita coisa.
E pensar que queria originalmente escrever alguma coisa sobre o jogo do Brasil amanhã...

domingo, 13 de junho de 2010

Show da Alemanha

O show da Alemanha não aconteceu apenas durante a partida hoje com a fraca Austrália. Muitos criticam a presença de nacionalizados nas seleções nacionais que hoje mais se parecem com clubes, que contratam jogadores, do que verdadeiras representações da população nacional, realidade de trinta anos atrás quando eram raros tais fenômenos. Penso que, o lado positivo da presença de estrangeiros nacioalizados, e que transparece na seleção alemã, é o argumento anti-racismo, anti-xenófobo que reside incontestável. Na Europa atual o sentimento racista se dá contra pessoas de países subdesenvolvidos que imigram para aqueles países em busca de uma vida melhor. Brasileiros, turcos, poloneses, entre outros, são mal vistos por muitos por "roubarem" os empregos dos nacionais oferecendo mão de obra barata para as empresas. Pois bem, a seleção alemã que jogou hoje é uma amostra de como os estrangeiros devem ser aceitos pelos nacionais, podendo contribuir para o pleno desenvolvimento de uma nação. O jogo contou com os atacantes Klose e Podolski, ambos nascidos na polônia, Mesut Ozil, nascido da turquia, que foi considerado o cérebro do time pelos comentaristas, além do brasileiro Cacau que marcou um gol. Fico feliz com essa diversidade, que apesar de alguns efeitos nocivos ao futebol, mostra ao mundo que a diversidade faz bem. Talvez até por isso sejamos tão vitoriosos.

quinta-feira, 10 de junho de 2010

O Gato Preto

Há um conto muito famoso na literatura inglesa chamado ''O Gato Preto'', do autor Edgar Allan Poe. Um dia desses estava na Livraria Cultura do Recife e vi o livro que continha esse conto, e resolvi comprá-lo. Vi, no entanto, que o conto era curto, e que podia resolver tudo em poucos minutos. Fiquei surpreso com o conteúdo e qualidade do conto. Não é por acaso a sua fama, por isso não tenho medo de indicar aos amigos.

Abraços,

Basile