segunda-feira, 14 de dezembro de 2009

Summer and Autumn

Resolvi escrever logo para retirar de pauta o tópico anterior, do qual me envergonho. Mas enfim, ainda espero sugestões para temas aqui, afinal ando meio sem ter o que escrever.
Assisti a dois filmes nesse fim de semana. "Do começo ao fim" é um filme brasileiro sobre dois irmãos homens que se apaixonam e mantém um relacionamento estável desde a adolescência até a vida adulta. Achei o filme ruim, não por relatar uma história dramática e que mostra as dificuldades dessa relação, justamente pelo contrário. O filme parece banal, sem nenhum drama, como se essa relação "diferente" não fosse causar o menor constrangimento ou dificuldade para os personagens. Além do mais as cenas são meio bregas e a história não parece crível em nenhum momento. Infelizmente um filme que parecia ser tão interessante afundou num roteiro muito fraco e com atores igualmente sem talento.
O outro filme que assisti é muito bom. Chama-se "500 dias com ela", o título em inglês é mais interessante porque ele faz referencia ao nome da personagem feminina que se chama Summer, cuja tradução seria verão, mas como ninguém se chama verão no Brasil, com exceção da Vera que já morreu, perdemos um pouco na tradução. Enfim, o filme tem um enredo muito interessante e os atores são muito bons. A atriz Zooey Deschanel é muito cativante e prende a atenção durante o filme e o ator Joseph Gordon-Levitt também não decepciona. Essa sim é uma história crível e que apesar de normal, não nos deixa de emocionar. Não vou ficar bajulando muito, mas vejam e não se arrependerão!
Abraços aos que por ventura passarem por aqui...

segunda-feira, 7 de dezembro de 2009

6X

Hoje a postagem é em homenagem ao CRF. Não sou fanático por futebol, gosto apenas de assistir bons jogos e por influência do meu tio carioca, gosto do Flamengo. A grande polêmica que vejo hoje em relação a esse título conquistado no melhor campeonato dos últimos tempos é a de quantas vezes o meu clube se sagrou campeão. Segundo a Globo e o Clube dos Treze esse seria o sexto título, enquanto que segundo a CBF seria apenas o quinto, por que isso? O objeto de disputa é o campeonato de 1987 que o flamengo reputa como seu e o Sport também. A verdade é que juridicamente, graças a um acórdão do STJ sobre a matéria, o título é do Sport. No entanto, a imprensa de uma maneira geral e o sentimento popular é o de que o título deve ser direcionado ao Flamengo que venceu o grupo de times mais difícil naquele ano, enquanto o Sport teria ganho apenas uma espécie de série B. Tudo fruto da desorganização da própria CBF que não teve competência naquele ano para estabelecer previamente as regras de forma clara. Quem disser de outra forma provavelmente tem medo que o Flamengo tenha mais títulos que seu time. E no futebol, como em outros assuntos, o que vale não são instrumentos jurídicos, mas aquilo que o povo acredita como verdade, e que influenciará culturalmente as demais gerações. Sempre meus escritos são parciais, mas desconsiderem qualquer exagero no de hoje, bem como qualquer ausência de bons critérios de escrita, afinal são duas da manhã e resolvi escrever para passar o tempo.
Abraços aos leitores que por ventura passem por aqui.

terça-feira, 1 de dezembro de 2009

Alertem todos alarmas, que o homem que eu era voltou!

Caros amigos,

depois de quase dois meses volto a escrever aqui. Perdoem a minha falta de compromisso, pois estou estudando bastante para uma seleção e as minhas turmas demandam muita dedicação. Enfim, hoje pretendo colocar em dia a nossa conversa e escrever sobre alguns assuntos diferentes.

Em primeiro lugar, dei uma olhada hoje num site alagoano que conta o número de homicídios registrados no estado. Só hoje foram 5 (cinco), totalizando no ano 1154 (mil cento e cinquenta e quatro). Algumas pessoas ainda tem medo de visitar o Rio... Até quando aceitaremos isso?

Outro assunto palpitante e que merece análise mais profunda é o da mudança na tributação do IPTU na cidade de São Paulo. Para quem não está acompanhando o noticiário sobre o tema, a prefeitura resolveu ajustar a Planta Genérica de Valores (PGV), aumentando a base de cálculo na cobrança do imposto sobre propriedade territorial urbana. Traduzindo para os leigos em direito, o município resolveu aumentar o IPTU. As repercussões desse aumento ainda são incertas, mas impressiona um município governado pelo Democratas, um partido declaradamente liberal, aumentar valores cobrados por meio de tributos para financiar as atividades prestadas pelo Município. Esse tipo de atitude normalmente é mal vista pela população, que se recusa a retirar parte maior de seus rendimentos para financiar as cidades, sabendo que a classe política mal utiliza os recursos que já estão lá. No entanto a principal fonte de arrecadação dos municípios (quando eles possuem) é o IPTU. E algumas mudanças que foram feitas lá beneficiam sim os mais pobres e aumentam apenas para os que possuem uma condição mínima. Por exemplo, antes os imóveis que valiam mais do que 37 (trinta e sete) mil não precisavam pagar, agora só os que superarem os 70 (setenta) mil é que devem pagar IPTU. A função dos tributos é dupla, por um lado deve financiar os nossos direitos, por outro deve buscar arrecadar mais de quem tem mais. Se as mudanças forem nesse sentido, não há porque levantar barricadas contra isso. Nesse sentido é que o fim da CPMF foi um erro, que o próprio Democratas defendeu...
Claro que ainda não li as modificações legislativas em si, apenas algumas matérias jornalísticas e, portanto, parciais sobre o tema. É preciso que a sociedade paulistana fique de olho apenas na destinação de tais recursos para que eles não acabem nas meias e cuecas por aí.

Abraços a todos!