domingo, 30 de novembro de 2008

Herói chinês

Reportagem da Veja:

"Executado com injeção letal o chinês Yang Jia, de 28 anos. Ele foi condenado à morte por ter invadido, com bombas de fabricação caseira, uma delegacia de Xangai, esfaqueado dez policiais e matado seis deles. Yang disse que o crime foi uma vingança pelas torturas que sofreu ao ser interrogado por um roubo de bicicleta. Ele é visto como um herói diante dos abusos da polícia chinesa".
Como diria Brecht: "Do rio que tudo arrasta, diz-se que é violento. Mas ninguém chama violentas às margens que o comprimem".

terça-feira, 25 de novembro de 2008

Rainha Marta!

Fantástico!!!
"Em sessão realizada nesta terça-feira na Assembléia Legislativa de Alagoas (ALE), os deputados estaduais aprovaram, por 15 votos a seis, o projeto de lei que altera o nome do Estádio Rei Pelé – o maior palco do futebol alagoano – para Rainha Marta.
Por iniciativa do deputado Temóteo Correia (DEM), a matéria visa homenagear a jogadora Marta Vieira da Silva, natural da cidade de Dois Riachos, no sertão alagoano, eleita pela Fifa a melhor jogadora do mundo em 2006 e 2007.
Temóteo Correia justificou a necessidade de dar o nome do principal estádio do Estado a quem ganhou renome mundial no esporte e não esqueceu seus laços com a sua terra natal, cutucando o ex-camisa 10 do Santos. “O Pelé nunca mencionou a homenagem do povo alagoano em nenhum evento público. Ele não valorizou a presteza e a homenagem do alagoano para com ele”, justificou.
Agora, com a segunda votação, a matéria será encaminhada para a sanção ou veto do governador Teotonio Vilela Filho, em um prazo de 15 dias
".

quinta-feira, 20 de novembro de 2008

Governo revê previsão de crescimento e pede corte de R$ 15 bi no Orçamento

Espero que o governo cumpra o que prometeu na reportagem. Não cortar gastos das áreas sociais e dos principais investimentos. Mas geralmente não é isso que acontece...
"O governo admitiu que a crise financeira provocou uma desacelaração do crescimento da economia brasileira, ao enviar ao Congresso Nacional, nesta semana, os novos parâmetros para o Orçamento 2009, segundo informações da Agência Brasil, vinculada ao governo federal.
Dos R$ 15 bilhões a serem cortados, R$ 8 bilhões referem-se à queda na arrecadação do governo federal e aproximadamente R$ 7 bilhões estão relacionados à diminuição dos royalties de petróleo, receita afeta a arrecadação dos estados e e municípios. "A gente está procurando fazer uma revisão de receita para avaliar o impacto disso tudo. O Ministério do Planejamento informou ou que o corte que deve ser feito é aquele que já estávamos estimando em R$ 15 bilhões, sendo R$ 8 bilhões para o governo federal e aproximadamente R$ 7 bilhões para os estados e municípios", destacou o senador.Os cortes, na avaliação do senador, não vão atingir o Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) e os programas sociais do governo, como o Bolsa Família, por exemplo. No entanto, Delcídio não garantiu que o orçamento das estatais será preservado."Vamos preservar o PAC e os programas sociais. Temos margem para fazer os cortes sem mexer na área social e no PAC. Vamos reavaliar as verbas de custeio e algumas áreas de investimentos dos outros ministérios, mas tentar preservar os investimentos porque, em um momento de crise como este, eles são muito importantes", explicou o senador. "Em princípio não haverá cortes nos orçamentos das estatais. Em princípio, nós vamos mexer no orçamento fiscal do governo", destacou.Para o PAC estão previstos R$ 21 bilhões para o próximo ano. O programa abarca a maior parte das verbas de investimento previstas que somam R$ 39 bilhões. Fora o PAC são investimentos dos ministérios e das estatais. O senador acredita que há uma margem grande para se cortar no custeio e disse que será inevitável cancelar a realização de concursos públicos que estavam sendo planejados para diversas áreas do governo."O custeio tem um espaço muito grande, até porque existem ainda espaços como concursos públicos que podemos suspender. Temos condições de melhorar os gastos correntes em determinadas áreas. Há espaço para cortar nos investimentos e também no custeio", disse o senador.Quanto o salário mínimo, Delcídio garantiu que aumento previsto na Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO), aprovada no meio desse ano, será preservado. "O aumento do salário mínimo também será mantido e deverá ficar em R$ 464", garantiu".

sábado, 8 de novembro de 2008

OBAMA, ACABE COM GUANTANAMO!

Desde a vitória e Obama pensei em escrever algo sobre ele. Resolvi há alguns dias que seria uma cobrança, na verdade. E que essa cobrança seria o fim da prisão de guantánamo em Cuba, na qual os americanos há muitos anos torturam e mantêm presos políticos e suspeitos de terrorismo sem nenhum julgamento.
Resolvi procurar algumas matérias sobre o assunto antes e descobri que o Saramago falou isso antes de mim. Então, publicarei o ponto de vista do grande escritor português, retirado diretamente de do seu blog. Ele ainda não sabia que Obama seria com certeza o 44º Presidente Norte-Americano, mas expressa bem o que quero dizer.
Abraços aos amigos!
"Guantánamo

No momento em que escrevo estas linhas os colégios eleitorais ainda vão continuar abertos durante mais algumas horas. Só pela madrugada dentro surgirão as primeiras projecções sobre quem será o próximo presidente dos Estados Unidos. No caso altamente indesejável de que viesse a triunfar o general McCain, o que estou a escrever pareceria obra de alguém cujas ideias sobre o mundo em que vive pecassem por um total irrealismo, por um desconhecimento absoluto das malhas com que se tecem os factos políticos e os diversos objectivos estratégicos do planeta. Nunca o general McCain, sendo, ainda por cima, como a propaganda não se cansa de lhe chamar e que um miserável paisano como eu nunca se atreveria a negar, um herói da guerra contra o Vietnam, nunca ele ousaria deitar abaixo o campo de concentração e tortura instalado na base militar de Guantánamo e desmontar a própria base até ao último parafuso, deixando o espaço que ocupa entregue a quem é o seu legítimo dono, o povo cubano. Porque, quer se queira, quer não, se é certo que nem sempre o hábito faz o monge, a farda, essa, faz sempre o general. Deitar abaixo, desmontar? Quem é o ingénuo que teve semelhante ideia?
E, contudo, é disso precisamente que se trata. Há poucos minutos uma estação de rádio portuguesa quis saber qual seria a primeira medida de governo que eu proporia a Barack Obama no caso de ele ser, como tantos andamos a sonhar desde há um ano e meio, o novo presidente dos Estados Unidos. Fui rápido na resposta: desmontar a base militar de Guantánamo, mandar regressar os marines, deitar abaixo a vergonha que aquele campo de concentração (e de tortura, não esqueçamos) representa, virar a página e pedir desculpa a Cuba. E, de caminho, acabar com o bloqueio, esse garrote com o qual, inutilmente, se pretendeu vergar a vontade do povo cubano. Pode suceder, e oxalá que assim seja, que o resultado final desta eleição venha a investir a população norte-americana de uma nova dignidade e de um novo respeito, mas eu permito-me recordar aos falsos distraídos que lições da mais autêntica das dignidades, das quais Washington poderia ter aprendido, as andou a dar quotidianamente o povo cubano em quase cinquenta anos de patriótica resistência.
Que não se pode fazer tudo, assim de uma assentada? Sim, talvez não se possa, mas, por favor, senhor presidente, faça ao menos alguma coisa. Ao contrário do que acaso lhe tenham dito nos corredores do senado, aquela ilha é mais que um desenho no mapa. Espero, senhor presidente, que algum dia queira ir a Cuba para conhecer quem lá vive. Finalmente. Garanto-lhe que ninguém lhe fará mal
".

terça-feira, 4 de novembro de 2008

Tarifas de Itaú e Unibanco não devem subir nos próximos seis meses

Esse é o título de uma reportagem da UOL sobre a negociação que criou o maior banco da América do Sul.
Digo desde o início que não sou contra a fusão de bancos ou de qualquer outro tipo de empresa. Mas entendo que qualquer operação dessa magnitude deve ser fiscalizada devidamente pelo Estado, sob pena de submeter não só os empregados das empresas como os próprios consumidores a penas que esses não deveriam suportar.
Segundo a reportagem, o Banco Central é quem estabelece esse prazo de 6 meses de proibição no aumento das tarifas das instituições envolvidas no negócio. Acontece que, segundo também a reportagem, tanto o Unibanco quanto o Itaú aumentaram recentemente suas tarifas, pouco antes da realização dos negócios. É incrível a criatividade e a esperteza quando se tem como fim burlar a lei e ganhar dinheiro. Entendo que esse prazo é curto, e que devem ser fiscalizadas operações anteriores ao anúnico da compra. É o mínimo que se pode fazer em termos de proteção dos consumidores...

http://economia.uol.com.br/ultnot/infomoney/2008/11/04/ult4040u15449.jhtm

domingo, 2 de novembro de 2008

Eu odeio Timo Glock

Vi hoje a melhor corrida que me lembro ter assistido. Infelizmente Felipe Massa não foi o campeão da temporada. Para que o brasileiro fosse o campeão, seria necessário que ele conquistasse a vitória e que o inglês Hamilton ficasse no máximo em 6º colocado. Na última volta do GP do Brasil me enchi de esperança ao ver essa situação se realizar. Acreditei como nunca antes que Massa seria o campeão. Porém, na última volta, o alemão Timo Glock não conseguiu se sustentar na pista e deixou que Lewis Hamilton chegasse em 5º, garantindo assim o título de campeão da F1 2008. Não é difícil imaginar o por quê do meu ódio por Timo Glock.